EU NÃO TROCARIA ESTA DOR POR NADA NESTE MUNDO…

Foi uma das frases ditas pela maravilhosa “treinadora” de psicoterapeutas, Robyn Walser, que esteve no Workshop online promovido pelo Núcleo Cefi Contextus no último final de semana. Um workshop sensível e ao mesmo tempo “pé no chão”, que é, como eu entendo, uma forma flexível de lidar com as dores da vida. Sensível no sentido de se conectar com o outro, com os olhos, com o corpo inteiro. “Pé no chão” no sentido de não fugir da dor que está...

Paciência

Quando eu estava pensando sobre o que eu gostaria de falar no texto de hoje, não me vinham muitas ideias, ao fazer uma pausa para refletir sobre algum tema, me ocorreu de falar sobre o que tem sido muito valioso para mim nesses últimos tempos. Há cinco meses eu adotei uma cachorrinha chamada Lily, esses dias ela adormeceu em cima do meu ombro. Nesse momento eu me senti mergulhada nessa cena, sentindo o calorzinho do corpo dela, escutando os sons...

Sobre estar aqui

Parte 1: “Papai tá aqui”, minha filha me diz, na sua vozinha de algodão doce e em um tom tão gentil e amoroso que só uma criança de 20 meses consegue ter, enquanto bate suavemente a mãozinha nas minhas costas em um gesto de carinho. Ela parece tranquila, feliz. Nessa que parece ser uma experiência de contentamento sereno, ela me contagia. Refletindo sobre esse momento, me dou conta de que esse estar aqui é algo tão simples, tão banal, mas...

Como entendemos o luto?

A maioria das pessoas perde algo ou alguém importante durante sua vida, talvez um familiar, seu trabalho, a saúde, um relacionamento ou, inclusive, uma crença que tinha muito sentido e que agora não tem tanto. Todos estamos propensos a perder vínculos valiosos ao longo de nossa vida, faz parte de ter mudanças, e que mudemos junto com ela. Por alguns anos meu trabalho me levou a estar junto de pessoas que perderam seus entes queridos por morte, escutei suas histórias...

3 passos para se manter mais focado

Nosso estado natural de fácil distração é um prato cheio para iniciarmos uma atividade e, no meio do caminho, nos deixarmos ser desviados por algum barulho inesperado, por uma lembrança de outra coisa a ser feita ou atraídos pela geladeira. Se estivermos em estado ansioso ou de estresse então a geladeira torna-se bastante procurada especialmente quando se está em casa de quarentena. Há momentos nos quais a distração ocorre simplesmente por não termos clareza do que estamos buscando, em outros...

A arte de deixar para depois…

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã… Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã, E assim será possível; mas hoje não… Não, hoje nada; hoje não posso. A persistência confusa da minha subjetividade objetiva, O sono da minha vida real, intercalado, O cansaço antecipado e infinito, Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico… Esta espécie de alma… Só depois de amanhã… Hoje quero preparar-me, Quero preparar-me para pensar amanhã no dia seguinte… Ele é que é decisivo....

POR DENTRO DA PELE: EXPERIÊNCIAS DE AUTOCUIDADO

  Acredito que um olhar generoso, de disposição e aceitação para essa pandemia seja a possibilidade de novos aprendizados. Estamos todos tendo que nos reinventarmos, seja no aprendizado das novas tecnologias, do mundo virtual, das relações sociais e familiares, mas fundamentalmente na relação consigo mesmo. Há um convite para um caminho de conexão e conscientização para o que habita dentro de cada um de nós, o que costumamos dizer: “o que existe dentro da pele”, sejam emoções, pensamentos, sensações. Nesse...

O que fazer para se comunicar melhor?

Você sente a necessidade de se expressar melhor ao fazer um pedido, manifestar a sua opinião ou dizer não a alguém? Eu sinto! Por mais que venha trabalhando com habilidades interpessoais e de comunicação, reconheço que existem situações mais desafiadoras e que o treino não pode parar! Recebo feedback de colegas, pacientes e amigos ‘Tu fala super bem! É bem objetiva’. Aprecio os feedbacks e reconheço que consigo pedir ou dar negativas assertivas, porém quando faço isso sem expressar o...

3 orientações sobre o uso de psicofármacos

Aproximadamente 50% das pessoas que fazem uso de medicamentos diminuem a adesão aos fármacos após 6 meses de tratamento. Dentre os fatores mais comuns para a falta de adesão ao tratamento farmacológico encontram-se a falta de acompanhamento medicamentoso com um profissional, a interrupção do acesso ao tratamento e o uso de vários fármacos (polifarmácia) em vários horários no dia.  A adesão farmacológica envolve uma questão de extrema importância (muito além da simples administração do medicamento em si): a aliança do...

Escolhas: para onde estou indo?

Fazer escolhas. Escolher. Desde pequenos escutamos que “a vida é feita de escolhas”. É fácil? Para mim às vezes não é, muitas vezes não foi. Quando escolhemos um caminho, precisamos abdicar de coisas que encontraríamos no outro caminho. Abdicar se torna um desafio ainda maior quando não temos clareza do que é importante para nós, quando ficamos presos nas expectativas que achamos que as pessoa têm sobre nós, quando queremos atender às regras internas que nos impomos…são infinitas as armadilhas...