10

Estava pensando no que escrever e fui dar uma olhada nos textos anteriores. Não é sempre que me ocorre uma ideia de bate-pronto para escrever. A inspiração pode chegar de coisas rotineiras. Coisas que você pode comer, encontrar pelo canto do quarto, ou numa caminhada pela beira da praia.

Observando rapidamente os texto escritos aqui no blog, percebi que este é o de número 10.  E 10 é um número de inspiração. É Pelé. É Maradona. E, é claro, o número do argentino que encanta à todos quando vemos jogar: D’Alessandro. E, agora, 10 textos escritos aqui no blog.  Escrevê-los foi uma ação de compromisso que a equipe CEFI Contextus encontrou para falar sobre as terapias comportamentos contextuais. 

Para Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT),  a sensação de liberdade para fazer uma escolha vem da busca pelo reforço positivo, ao invés de evitar estímulos aversivos. Skinner (1971) diz que as pessoas se sentem mais livres quando estão agindo para produzir um reforço positivo para si mesmas à quando estão tentando evitar ou escapar de situações aversivas. Faz todo o sentido. Neste curto caminho de 2 anos, encontrei a liberdade para escrever o que bem aparecesse na minha cabeça – buscando ser consistente com o modelo e, por supuesto, consultando a literatura enquanto escrevia. Notei como é bom poder misturar as coisas que eu gosto, como a psicologia e coisas do cotidiano,  e o quanto isso tornou o meu compromisso de escrever no blog mais leve.

Inspirado no 10, compartilho com vocês 10 coisas que pretendo fazer, com a intenção que você também possa fazer o mesmo para por em prática:

  1. Ligar mais vezes para minha família durante a semana.
  2. Organizar a minha biblioteca virtual.
  3. Dedicar uma parte de cada manhã para ler ou escrever.
  4. Conversar com amigos em individual.
  5. Aprender a utilizar python.
  6. Ir à uma nutricionista.
  7. Gastar um pouco de tempo com o meu violão a cada dia.
  8. Me dedicar duas vezes por semana à outro idioma.
  9. Fazer uma caminhada nas montanhas próximas de Almería.
  10. Entrar no mar no final de cada dia, ou voltar a nadar.

Eu coloquei 10 aqui apenas como uma forma simbólica. Percebi um impulso de querer colocar mais coisas nessa lista. Na sua prática, você pode adaptar da maneira que seja mais útil para você. Personalize de uma maneira que lhe ajude. Aqui, faço uma pequena sugestão, uma forma que também aplicamos na especialização de terapias contextuais na hora de realizar a prática relacionada com a aula.  Você, como leitor aplicado, pode compartilhar os seus 10 comportamentos fazendo um comentário aqui no site ou compartilhando em alguma rede social. Se for um leitor rebelde, pode escrever para si mesmo. E se você for um leitor mais punk, apenas observe o que o seu lado punk está te convidando a se comprometer**. Independente do tipo de leitor que você escolha ser, está tudo bem. 

Ah, e antes que eu me esqueça. Se você é familiarizado com a ACT, você pode estar sentindo falta de algo que não falei neste texto. Os valores. Eles estão intimamente ligados com as ações compromisso e é um processo central dentro do tratamento. É através deles que nos orientamos em nossas vidas, enquanto as ações de compromisso são os comportamentos que nos levam nessa direção. Vou estar falando sobre tudo isso e mais um pouco no Workshop: Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT): Primeiros Passos que vai acontecer nos dias 9 e 10 de agosto deste ano. E se você é familiarizado com a terapia, não tem problema. O workshop é pensado para compreender os princípios básicos da ACT, podendo aprender desde o surgimento da terapia até a aplicação na clínica. Para mais informações ou para se inscrever, você pode acessar o site clicando no nome do workshop descrito acima.

* Obrigado Claudia Muñoz, por manter vivo e organizado o nosso site.

**as expressões usadas aqui para o leitor  – aplicado, rebelde e punk -, que na especialização usamos para aluno, são metáforas criadas pelo Fabian Oláz  em que ele gentilmente me permitiu utilizar aqui para o texto.

Sobre o Autor
Matheus Bebber
Psicólogo graduado pela PUC-RS. Master em Investigação em Ciência do Comportamento pela Univisidade de Almería, Espanha. Formação em Psicoterapia Comportamentais Contextuais pelo CEFI-RS/CIPCO, com formação complementar em Terapia Comportamental Dialética (DBT). Experiência em atendimento de grupo de treinamento de habilidades da Terapia Comportamental Dialética. Participou de treinamento inten... ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *