Processo de luto durante o CoVID-19… O que fazer?

O mundo continua combatendo a Pandemia do Coronavírus (COVID-19) com todos tentando, a partir de suas possibilidades, lidar com as consequências e buscar sobreviver aos efeitos de saúde, políticos, econômicos, sociais e de trabalho neste momento tão difícil para todos nós.  No momento que eu estou publicando este post, as mortes por COVID-19 são mais que 430.000 pessoas em todo o mundo, deixando cada uma um impacto e um vazio enorme na vida de seus entes queridos e na comunidade.

Em muitas dessas comunidades parece que a morte está em qualquer lugar, todo mundo está sofrendo com algo ou por alguém durante este momento, e as possibilidades para oferecer suporte foram modificadas devido ao distanciamento físico, incapacitando a oportunidade de poder se reunir e lamentar com seus entes queridos, despedir-se expressando sua dor e sem acesso aos rituais mais básicos para honrar os falecidos e facilitar o luto, deixando ao enlutado com muitas dúvidas e dificuldades de como continuar com sua vida e com medo de se contagiar também.

O luto por COVID é diferente de outros lutos, é um acontecimento com características próprias e os próprios profissionais que trabalham com o tema do luto ainda estão tentando compreender os efeitos e o impacto real do que está acontecendo na sociedade. Para os enlutados parece não ter sentido, tudo está mudando tão rápido, as coisas pareciam tão distantes, algo que só acontecia em outros lugares, mas, para alguns, já é uma realidade tão próxima e que afeta seu processo de adaptação para as novas condições de vida no mundo, diminuindo sua funcionalidade e estabilidade,  desencadeando medo de continuar perdendo mais coisas, mais pessoas pelo vírus e com perguntas sobre o que poderia ter sido diferente e não foi, ou a ideia de que não fizeram o suficiente, nem sua comunidade ou seu governo, junto com outros estressores que tem que resolver ao mesmo tempo em que lida com sua perda.

Se você é uma destas pessoas que perdeu alguém ou algo importante neste período de pandemia, considere as seguintes estratégias para cuidar de si mesmo e compartilhar com os outros para facilitar o processo de luto:

  • Permita-se sentir sem julgamentos: As coisas realmente estão sendo duras neste momento, perder alguém próximo já é extremadamente difícil e com as circunstâncias atuais a intensidade dos sintomas de luto provavelmente é maior. Permita-se sentir o que está sentindo, você está tentando fazer o melhor que você pode com o que tem no momento, as cobranças e julgamentos não vão melhorar como você está se sentindo com a perda, foque sua atenção em reconhecer sua perda e notar as sensações  derivadas dela.
  • Aproveite o tempo para conectar com sua perda: A dor que você está experimentando derivada de sua perda provavelm
    ente está tentando comunicar o quão importante foi a pessoa para você e o carinho que sente por ela. Neste momento de distanciamento social e da incapa
    cidade de ter rituais funerários tradicionais, podemos ter a sensação de que a pessoa realmente não morreu, apesar de racionalmente saber o contrário. Ter um tempo para expressar e conectar com sua perda ajuda para integrar emocionalmente a realidade da perda e reconhecer o impacto que está tendo realmente na vida do enlutado. Algumas estratégias para se conectar podem ser escrever em um diário sobre o que está sentindo e o que significa esta perda para você, olhar fotos antigas do falecido, cozinhar uma comida que a pessoa gostava, escrever uma carta, um poema, uma canção que conecte com sua perda e com seu ente querido, e compartilhar o que está fazendo com amigos ou familiares que confia, eles provavelmente fornecerão o apoio e validação que você precisa neste momento.
  • Mantenha-se conectado à família, amigos e redes de apoio: Embora permaneçamos fisicamente separados uns dos outros, em muitos aspectos, nosso mundo nunca esteve tão conectado. Ter pessoas que se preocupam e estão com você neste momento favorece um contexto melhor para lidar com a perda, e o simples ato de ouvir ou ver pessoas importantes pode favorecer a sensação de suporte e minorar os efeitos do distanciamento físico. Pode ser por ligações telefônicas, chamadas de vídeo, reuniões no Zoom (aplicativos), ou outras possibilidades de conexão. Todas são ferramentas para acompanhar e ser acompanhado neste momento tão importante.
  • Equilibre as atividades de perda com distrações saudáveis:  Conectar com a perda é importante assim como também é importante conectar com as necessidades e demandas atuais de nossa vida, ter um momento de descanso e distração com atividades prazerosas, necessárias ou importantes. Estas podem fornecer um alívio e uma pausa saudável da intensidade de suas emoções e, ao mesmo tempo, ajudar na integração de uma vida que mudou depois da perda.  Algumas atividades que podem ajudar neste sentido são fazer exercício, limpar a casa, cozinhar, meditar, assistir um bom filme, escutar música, tomar um banho quente por um tempo maior, dançar, tocar algum instrumento, voltar aos poucos aos projetos de trabalho ou coisas que são importantes para você,  qualquer coisa que o ajude a conectar com sua vida sem evitar o que você está sentindo.
  • Faça algo para honrar o falecido: Os rituais tradicionais neste momento não são possíveis pelos cuidados para diminuir o contágio, mas buscar outros espaços de reunião com familiares e amigos para homenagear o falecido e encorajar um ao outro pode ser uma boa alternativa. Pode-se organizar uma celebração online da vida, compartilhar histórias, uma foto, um vídeo… tente buscar algum gesto de lembrança do falecido e considerar como a pessoa gostaria que você honrasse a memória dela.
  • Peça ajuda profissional: se você está lutando para processar sua dor e se sente preso, talvez seja hora de pedir ajuda profissional.  Existem grupos de atenção e acolhimento a enlutados que dão a oportunidade de elaborar o que sente, favorecendo um contexto de expressão da dor, minimização do isolamento social e acolhimento neste período. Por exemplo, há o grupo SOBRE VIVER, assim como o apoio de profissionais especializados no trabalho de luto no Núcleo CORA. Eles podem ajudar de forma presencial e on-line em casos de luto e luto complicado. Outros serviços como o desenvolvimento de habilidades para incrementar a regulação emocional também podem ajudar em casos nos quais a intensidade das emoções e os comportamentos de risco são maiores. Esses serviços de saúde e tele psicologia podem ser uma ótima alternativa aos atendimentos presenciais. Consulte a guia de serviços que o CEFI oferece no website www.cefipoa.com.br para saber mais.

Grupo de Atenção e acolhimento de luto SOBRE VIVER

Terapia individual para o luto e luto complicado

Agende agora sua consulta: 051 33461525 ou 051 994207006 (apenas Whatsapp)

Treinamento de Habilidades de Regulação emocional

Adultos

Adolescentes

 

 

Compartilhe

Sobre o Autor
José Ignacio Cruz Gaitán
José Ignacio Cruz Gaitán
Psicólogo. Mestre em Psicoterapia. Membro dos Núcleos Cora e Contextus no CEFI. Formado em Terapia dialéctica Conductual pelo Behavioral Tech e com múltiples treinamentos em Terapia de Aceitação e Compromiso, Terapia Analítico-Funcional e diversas terapias Contextuais. Miembro da ACBS Chapter México, Diretor do Centro de Terapia Conductual de Occidente em Guadalajara, México. Co-autor do livro ... ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *