Nossos Selfs

Iniciei uma das atividades do ano, que valorizo muito, realizando um exercício de mindfulness, onde a intenção era pensar nas expectativas, medos, desejos para o ano que se inicia. Esse “eu” que observou o passado e visualizou o futuro me trouxe uma sensação de transcender o tempo e o espaço experimentalmente, também conhecido como “self observador”, ilimitado e que permite nos colocar em perspectiva, promover a desfusão e a sensação de liberdade, vamos falar sobre nossos Selfs? Quando me sinto...

Semana 24

É a semana 24. Semana 24 do que? Da formação de uma vida. Do desenvolvimento de um bebê. Da preparação de uma mãe, de um pai? Do gestar. Do descobrir-se duas em uma. Do respirar mais ofegante. Do maior milagre da natureza. Do constante desenvolver de uma vida.  24 semanas de um sonho que vem crescendo dentro de mim.   Como definir “a ‘semana 24’ de uma gestação”? Falar deste fenômeno ou desta experiência é…. desafiador? nunca suficiente? indescritível? Faltam-me...

As crenças e o impacto no contexto. Você tem escolha!

Essa semana fui convidada a fazer uma palestra sobre mindset para um grupo de profissionais de Recursos Humanos, área que atuei por muitos anos. E sempre que recebo esses convites me desafio a integrar saberes e olhares, incluindo sempre o ponto de vista das Terapias Comportamentais Contextuais, a base teórica da minha prática profissional atual. Nesse sentido fui buscar na RFT (Teoria das Molduras Relacionais) desenvolvida por Steven Hayes e Aaron Brownstein em meados dos anos de 1980. O início...

UMA “AVENTURA” NO MUNDO DA MATERNIDADE

Ontem foi o dia das mães. Escolhi me aventurar a escrever sobre maternidade e flexibilidade psicológica, termo cunhado pela Terapia de Aceitação e Compromisso. A flexibilidade psicológica é buscada por meio da associação de processos de aceitação e de atenção com os processos de compromisso e mudança de comportamento. São 6 processos centrais que pensei em explorar nesta escrita a partir do tema da maternidade. São eles: Momento presente/atenção flexível: Tem experiência mais momento presente do que estar observando um...

Que pessoa você quer ser em 2021?

  Mindfulness é uma prática que permite ter qualidade de presença ou qualidade de consciência. É uma forma de viver desperto, com os olhos abertos, observando, descrevendo e participando da realidade no momento, com efetividade e de forma não julgadora. Dentro desse ponto de vista gosto muito da perspectiva Zen Budista do mindfulness, ou seja, a possibilidade contemplativa da experiência, sem evitá-la, suprimi-la ou tentando mudá-la. É uma prática fundamental para a vivência espiritual contemplativa, independente de religião ou crença,...

O Julgamento

Quando comecei a estudar as terapias comportamentais contextuais e mindfulness, logo de cara me deparei com um desafio: como adotar uma postura não julgadora? Kabat Zinn, um dos principais precursores dos estudos em mindfulness descreveu esta habilidade como prestar atenção de propósito e sem julgamento. Não só ele, mas tantos outros autores associam o não julgamento à abertura e aceitação, processo bastante explorado na ciência comportamental contextual. Eu, como tenho um lado que gosta de seguir regras e queria fazer...

Escolhas: para onde estou indo?

Fazer escolhas. Escolher. Desde pequenos escutamos que “a vida é feita de escolhas”. É fácil? Para mim às vezes não é, muitas vezes não foi. Quando escolhemos um caminho, precisamos abdicar de coisas que encontraríamos no outro caminho. Abdicar se torna um desafio ainda maior quando não temos clareza do que é importante para nós, quando ficamos presos nas expectativas que achamos que as pessoa têm sobre nós, quando queremos atender às regras internas que nos impomos…são infinitas as armadilhas...

Prioridades… por onde começar?

Quando eu estava pensando sobre o que eu gostaria de falar essa semana, me veio à cabeça um dilema que eu tenho enfrentado mais atualmente: como dar conta de várias atividades ao mesmo tempo? A escrita desse texto foi uma dessas atividades, era uma tarefa que eu precisava fazer, ao mesmo tempo também tinha que terminar de preparar uma apresentação para hoje, terminar outros documentos que estamos preparando em equipe, atender e ahhhhhhh… Como lidar com isso? Umas das coisas...

VAMOS SER DE VERDADE?

Ter 5 mil amigos virtuais e não saber o prato favorito de 10 deles. Não conhecer a força do seu abraço, o seu jeito de andar e os seus lugares favoritos. Se gosta de café ou se prefere chá. Se adoça ou não. Entre vinho e cerveja, não saber o que ele escolhe. Que pizza mais gosta. O que gosta de fazer, de verdade, no sábado de tarde. No sábado de noite.  DE VERDADE. Não aquilo que as redes sociais...