Você tem dormido bem?

O sono é um processo vital para nosso organismo, além de ser um momento extremamente relaxante. A privação de sono pode gerar diversos problemas graves para o indivíduo, como prejuízos à cognição, memorização e desempenho motor, além de irritabilidade, ansiedade, cansaço, dores de cabeça, alterações da visão e do metabolismo. Estima-se que, a cada 24 horas sem dormir, uma pessoa diminua em 25% sua capacidade de realizar um trabalho mental, sendo a concentração e a cognição as áreas mais afetadas. Durante o sono, o nosso corpo também trabalha para manter o equilíbrio do sistema endócrino, imunológico e neurológico.

Mesmo que todos saibamos que uma noite de sono é algo muito bom, e por mais que estejamos informados do quão necessário é dormir adequadamente, infelizmente nem todos conseguem o sono que gostariam. Essas dificuldades podem decorrer dos mais diversos fatores como alterações orgânicas, síndromes ansiosas ou depressivas, estresse, entre outros. Muitas vezes, porém, algumas mudanças simples podem atenuar significativamente as dificuldades relacionadas ao sono. Abaixo, seguem algumas dicas importantes que podem ajudar a ter uma melhor qualidade de sono:

 

  • Durma sempre em locais limpos, escuros, com temperatura adequada e livres de barulhos. Ter um bom colchão e travesseiro também é fundamental;
  • Tenha horários regulares para dormir e acordar, mesmo nos finais de semana;
  • Crie uma rotina relaxante antes da hora de dormir. Um bom banho e ouvir música podem ajudar a melhorar o sono, exercícios de relaxamento ou meditação também podem contribuir grandemente para a  indução do sono;
  • Evite ingerir refrigerantes, café e álcool perto do horário de dormir. Comer perto desse horário também deve ser evitado, assim como fumar;
  • Evite dormir durante o dia, o sono de maior qualidade e reparador deve ocorrer à noite;
  • Evite ficar na cama quando não está com sono, levante e faça algo que lhe gere satisfação como ler um livro, assistir a um episódio de uma série;

 

Benefícios de um sono reparador:

 

Diabetes e Hipertensão: a privação do sono aumenta a resistência do corpo à insulina, dificultando mais o controle da doença. Mais de 80% dos pacientes diabéticos que apresentam dificuldades para dormir e que tiveram seu sono monitorado apresentaram resistência à insulina num estudo realizado nos Estados Unidos. O estresse e cansaço decorrente de noites mal dormidas pode aumentar os níveis tensionais e dificultar o controle da pressão arterial.

 

Memória: pessoas que têm uma boa noite de sono absorvem melhor as informações que

recebem durante o dia, sendo que a produção das proteínas responsáveis pelas conexões neurais ocorre enquanto dormimos.

 

Obesidade: durante o sono, o corpo produz o hormônio leptina, responsável pela sensação de saciedade. Pessoas com apneia do sono e insônia podem sentir mais vontade de comer pela carência dessa substância.  

 

Saúde Mental: pessoas que dormem menos de seis horas por dia têm mais chances de desenvolver depressão, humor irritadiço e sintomas ansiosos.  

 

É bastante importante salientar que em alguns casos a insônia persiste e há necessidade de tratamento medicamentoso. Nos dias de hoje, temos alternativas bem seguras para tratar as  patologias do sono sem risco para o paciente. A escolha de um fármaco seguro que não induza dependência química (benzodiazepínicos como Clonazepam, Alprazolam induzem e devem ser evitados!) pode melhorar a qualidade do sono e as horas dormidas, promovendo assim que o paciente tenha uma melhora não somente no sono mas em outras esferas como vimos anteriormente quando falamos nos benefícios de se ter uma boa noite de sono.

 

Durma bem!

Compartilhe

Sobre o Autor
Cláudia da Rosa Muñoz
CRM 30457 Médica graduada pela UfPel, psiquiatra pela Fundação Universitária Mário Martins, Título de Especialista em Psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria, Curso de Aperfeiçoamento em Terapia Comportamental Dialética pelo CEFI/CIPCO e de Especialização em Terapias Comportamentais Contextuais na mesma instituição. Participou de treinamento intensivo em Terapias Contextuais real... ver mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.