Não sou um Robô

Comumente quando nos cadastramos em alguns sites, ou ao navegar na internet, precisamos responder a alguns Captchas que consistem numa pequena verificação, onde temosque introduzir uma sequência de imagens para confirmar que realmente não somos um robô.

Não sou um Robô

Talvez quando respondemos ao Captcha não percebemos que estamos confirmando para uma máquina que somos humanos, para poder continuar. É engraçado porque, ultimamente, parece que vivemos como robôs, tentando dar conta das exigências e atividades do dia em um contexto desafiador por questões da pandemia do COVID-19, o isolamento e a adaptação de muitas de nossas atividades e trabalhos dentro de casa.

Provavelmente, como para muitos de nós, você está conseguindo trabalhar mais que antes, participando de cursos, indo ao médico, ao psicólogo, trabalhando, estudando, até socializando com familiares e amigos, tudo dentro de casa, a partir do computador. É algo futurista, conseguimos fazer mais coisas que antes, mas talvez o custo seja elevado… Eu mesmo me sinto mais cansado, menos motivado de fazer coisas, com maior dificuldade para me concentrar, e é algo que escuto também dos meus colegas. Estar dentro de casa, com medo do que vai acontecer e tentando dar conta das demandas cotidianas e das relacionadas com este momento de vida, parece que está nos oprimindo e alienando.

Por isso, a próxima vez que você responder ao Captcha, note como é  tranquilizador reafirmar, é verdade, Eu não sou um robô, eu sou um humano que tenta dar seu melhor com suas possibilidades, que nem sempre tem as respostas, que nem sempre precisa dar conta de todas as demandas da vida, que às vezes vai esquecer, às vezes vai errar, que é normal ficar cansado e sem motivação… E, inclusive, nem sempre vai ser consistente com a pessoa que quer ser, e isso não quer dizer que tem um defeito, não tem erros, não precisa de uma atualização, ou de uma reparação, porque neste momento é bom reconhecer que não somos um robô.

Obrigado Maria Luiza pela ideia e  para todas as pessoas do Núcleo Cefi-Cora, Cefi-Vida, e Cefi Contextus, pelo suporte que realmente precisava. 

Compartilhe

Sobre o Autor
José Ignacio Cruz Gaitán
José Ignacio Cruz Gaitán
Psicólogo. Mestre em Psicoterapia. Membro dos Núcleos VIDA, CORA e CONTEXTUS no CEFI. Formado em Terapia dialéctica Conductual pelo Behavioral Tech e com múltiples treinamentos em Terapia de Aceitação e Compromiso, Terapia Analítico-Funcional e diversas terapias Contextuais. Coordinador do Núcleo Vida para a atenção ao risco de Suicidio e Coordinador da especialização em Terapias Comportamentai... ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *