CORONAVÍRUS E SUAS IMPLICAÇÕES

O assunto mais falado nos últimos dias é certamente a pandemia do coronavírus. A doença vem chegando ao Brasil e, dado seu elevado potencial de contágio, configura uma grave ameaça à saúde da população. Diante dessa situação, desejamos que este texto possa contribuir com o enfrentamento dos desafios com que estamos nos deparando.

 

Antes de tudo, reconhecer o que há e o que pode ser feito.

Queremos salientar que o momento é oportuno para exercitar as habilidades de estar atento ao que ocorre e empregar os meios hábeis para ir ao encontro da realidade como de fato é, influenciando-a da maneira mais positiva que pudermos. Isso envolve o esforço por reconhecer os fatos, observá-los com atenção e descrevê-los com precisão. Em face de uma situação que nos desperta emoções perturbadoras, é importante também pausarmos para distinguir os julgamentos, interpretações e impulsos que surgem. Cabe nesse momento usar os meios necessários para acessar nossa sabedoria, e a partir dela diferenciar as reações que são úteis e as que não são para podermos agir efetivamente.   

 

Fazer o melhor que pode ser feito, com dedicação e compaixão.

Já tendo atingido o status de pandemia,  o alastramento do contágio em nosso país é inevitável, mas podemos influenciar o ritmo em que isso deve ocorrer mediante medidas protetivas em diversos níveis. Um importante efeito da tomada de medidas protetivas o mais rápido possível é a redução do potencial de sobrecarga das unidades de atendimento à saúde, o que pode influenciar drasticamente o impacto da doença, inclusive reduzindo o número de mortes. Conforme orientam agências oficiais de saúde nacionais e internacionais, além da atenção redobrada às práticas de higiene, uma das principais medidas para reduzir a chance de um contágio excessivamente acelerado que venha a fazer colapsar o sistema de saúde e acarretar um aumento significativo na quantidade de pessoas que morrerão pela doença é o distanciamento social.

Para muitos de nós, a ideia de distanciamento pode parecer bastante incômoda, assustadora ou mesmo inadmissível. Mas podemos também olhar para esse distanciamento a partir de outra perspectiva, como uma manifestação da nossa profunda dedicação e cuidado com o outro e ato que emana do reconhecimento e total aceitação de nossa inelutável condição de interdependência.

A evolução e os mecanismos de contágio de uma epidemia ou pandemia constituem um fenômeno complexo, em que cada ação individual tem implicações consideráveis no todo. Ainda que uma pessoa não esteja no grupo de risco para complicações relacionadas à doença, essa pessoa exerce nesse sistema complexo de transmissão  a função de vetor de um adoecimento extremamente contagioso de imensa gravidade para uma pequena mas considerável parcela da população. E a evolução dessa doença se torna cada vez menos previsível à medida em que o contágio se espalha, pois passa a envolver outros sistemas, como sistemas de saúde e organizações, que mantém nossas condições de vida.

 

Ampliar o olhar e reconhecer a complexidade.

O que um terapeuta pode fazer para ajudar nesse estado? As ciências comportamentais contextuais promovem uma abordagem evolucionária multinível para o enfrentamento dos desafios da condição humana. Nessa perspectiva tentamos abordar os desafios e problemas que a vida apresenta tendo em vista a produção de desfechos positivos na escala individual, grupal e societária. A ideia é de que possamos responder às dificuldades com uma mentalidade não somente de autoconservação individualista, mas com uma mentalidade de conservação da vida e redução do sofrimento para todos; que possamos responder aos eventos que se apresentam, especialmente as crises, tendo consciência de nossa profunda interdependência com toda a vida na terra.

A partir desse ponto de vista, como clínicos e como cientistas, nos cabe orientar indivíduos, grupos, organizações e sociedade para aspectos relevantes que não são facilmente observados quando não estamos treinados a contemplar às implicações de nossas ações nos diversos níveis em que nossa vida se constrói. 

Estamos diante de uma grande  oportunidade de aumentarmos nossa consciência coletiva e de aprendermos a orientar nossas ações para uma harmonia entre os diversos níveis em que nosso comportamento está implicado. Quando fazemos uma escolha por dedicar dois minutos de nosso precioso tempo para higienizar adequadamente as mãos, ou quando abdicamos de um desejado abraço ou trocamos uma tão esperada visita por uma ligação, mesmo quando se está fora do grupo de risco, estamos tomando decisões pautadas no reconhecimento de que nossa existência como organismos vivos e como pessoas conscientes dentro de uma cultura é caracterizada inerentemente por uma absoluta interdependência. Ao nos orientarmos por esse ponto de vista, nossa ação, que é sempre social porque está sempre implicada num contexto social, influenciando e sendo influenciada por todos, se torna pró-social, isto é, pautada pelo equilíbrio entre bem estar e redução do sofrimento individual e nos níveis mais amplos de grupos e sociedades.

Nesses tempos de coronavírus, sua vida individualmente pode não estar em risco, mas sua capacidade de amar e se reconhecer como parte de algo muito maior que você mesmo está sendo convidada a se manifestar e se desenvolver para o bem de todos nós. É nesse espírito que o CEFI Contextus anuncia que suas atividades estão passando por adaptações destinadas a reduzir o máximo possível os riscos de contaminação, como migração de atendimentos e reuniões para a modalidade telepresencial, promoção de informações seguras e adequadas sobre cuidados para reduzir risco de contágio, e apoio ao enfrentamento de dificuldades de cunho psicológico associadas ao distanciamento social e a outras medidas que possam vir a ser recomendadas e implementadas.

Abaixo,   disponibilizamos algumas referências de vídeos, sites e aplicativos sobre cuidados para reduzir contágio, distanciamento e outras medidas:

https://saude.gov.br/coronavirus

https://www.facebook.com/142923062450160/videos/236563334181009/?vh=e&d=n

https://www.unasus.gov.br/noticia/ministerio-da-saude-disponibiliza-aplicativo-sobre-o-coronavirus (para fazer dowload dos aplicativos)

Para atualizações sobre a situação da pandemia:

https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/events-as-they-happen

https://www.paho.org/bra/covid19/

Compartilhe

Sobre o Autor
Lucas A Schuster de Souza
Lucas A Schuster de Souza
Psicólogo, formado pela UFRGS, especialista em Psicoterapia de Técnicas Integradas pelo Instituto Fernando Pessoa. Tem formação em Terapias Comportamentais Contextuais e em Terapia Comportamental Dialética pelo CEFI/CIPCO, e mestrado em Psicologia Clínica, pela PUCRS, onde contribui com o Grupo de Pesquisa em Avaliação e Atendimento em Psicoterapias Cognitivas e Comportamentais - GAAPCC - na re... ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *