3 orientações sobre o tratamento do TDAH na infância

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma enfermidade neurobiológica que normalmente se apresenta em crianças com menos de 7 anos, sendo o transtorno mental mais comum nesta população (3 a 5%).

Desatenção, agitação e impulsividade são os sintomas mais comuns e é primordial ser estabelecido o diagnóstico diferencial com outros transtornos como depressão, ansiedade, comportamento opositor/desafiador, avaliando a criança em sua completude e em relação ao meio em que se encontra para estabelecer o manejo terapêutico e farmacológico mais indicado.

Além disso, é muito importante uma avaliação conjunta com o pediatra que assiste esta criança para descartar possíveis causas clínicas associadas aos sintomas psíquicos, avaliando a saúde clínica e verificando dados como nutrição, história familiar de alguma patologia clínica ou psiquiátrica, solicitando exames laboratoriais e de imagem, além de um eletroencefalograma.

Abaixo seguem 3 orientações sobre o tratamento do TDAH na infância:

  1. O tratamento do TDAH necessita de uma abordagem global e interdisciplinar, que inclui intervenções farmacológicas e psicossociais. A orientação aos pais visa facilitar o convívio familiar, ajudar a entender o comportamento do portador de TDAH e ensinar técnicas para manejo dos sintomas.
  2. A escola deve estar alinhada com o tratamento proposto, sendo extremamente indicada a psicoeducação tanto dos pais quanto dos professores. Psicólogos escolares e psicopedagogos têm grande importância no atendimento e tratamento destes pacientes.
  3. É imprescindível que haja uma avaliação minuciosa no pré-tratamento, investigando patologias cardiovasculares e psiquiátricas preexistentes, antes de estabelecer tratamento farmacológico. O tratamento medicamentoso de eleição é o uso de Metilfenidato. A criança deve passar por avaliação periódica do tratamento e acompanhamento psiquiátrico/neurológico regular, além do atendimento em psicoterapia.

Compartilhe

Sobre o Autor
Cláudia da Rosa Muñoz
CRM 30457 Médica graduada pela UfPel, psiquiatra pela Fundação Universitária Mário Martins, Título de Especialista em Psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria, Curso de Aperfeiçoamento em Terapia Comportamental Dialética pelo CEFI/CIPCO e de Especialização em Terapias Comportamentais Contextuais na mesma instituição. Participou de treinamento intensivo em Terapias Contextuais real... ver mais

2 comentários em “3 orientações sobre o tratamento do TDAH na infância”

  1. MEU FILHO TEM TDAH, ULTIMAMENTE ANDA MUITO IRRITADO, CHORA MUITO, TEM BAIXA ESTIMA ELEVADA, SO FAZ DE USO DE RITALINA PARA A ESCOLA, GOSTARIA DE SABER EM QUAL PROFISSIONAL TEM QUE IR, ALEM DO NEURO?

    1. Olá Tatiana, o tratamento para TDAH envolve uma parte medicamentosa e outra parte comportamental. Como o seu filho já faz uso de medicação e faz acompanhamento com o neuro, pode ser interessante marcar uma consulta com um psicólogo que possa realizar esse treinamento mais comportamental para manejo dos sintomas de TDAH. Caso você queira ajuda para encontrar um psicólogo, o Centro de Estudos da Família e do Indivíduo (CEFI) possui profissionais que atendem essa demanda. Para agendar uma consulta é só entrar em contato pelo telefone: 051 33461525 ou 051 994207006 (apenas Whatsapp)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.