O Julgamento

Quando comecei a estudar as terapias comportamentais contextuais e mindfulness, logo de cara me deparei com um desafio: como adotar uma postura não julgadora? Kabat Zinn, um dos principais precursores dos estudos em mindfulness descreveu esta habilidade como prestar atenção de propósito e sem julgamento. Não só ele, mas tantos outros autores associam o não julgamento à abertura e aceitação, processo bastante explorado na ciência comportamental contextual. Eu, como tenho um lado que gosta de seguir regras e queria fazer...

Em Busca de Rotas Alternativas

Quando eu saio de casa e toca uma música que eu gosto, acontece o seguinte: paro na escola dos meus filhos querendo ir para o consultório (digo, parava, em outra época kkk), no consultório tentando ir pra casa… São respostas automáticas, as quais nos ajudam imensamente a economizar energia e tocar a vida da forma que precisamos. Por isso gosto e faço uso de um bom GPS. Além das minhas óbvias dificuldades de localização geográfica e espacial, ele me parece...

EU NÃO TROCARIA ESTA DOR POR NADA NESTE MUNDO…

Foi uma das frases ditas pela maravilhosa “treinadora” de psicoterapeutas, Robyn Walser, que esteve no Workshop online promovido pelo Núcleo Cefi Contextus no último final de semana. Um workshop sensível e ao mesmo tempo “pé no chão”, que é, como eu entendo, uma forma flexível de lidar com as dores da vida. Sensível no sentido de se conectar com o outro, com os olhos, com o corpo inteiro. “Pé no chão” no sentido de não fugir da dor que está...

Como entendemos o luto?

A maioria das pessoas perde algo ou alguém importante durante sua vida, talvez um familiar, seu trabalho, a saúde, um relacionamento ou, inclusive, uma crença que tinha muito sentido e que agora não tem tanto. Todos estamos propensos a perder vínculos valiosos ao longo de nossa vida, faz parte de ter mudanças, e que mudemos junto com ela. Por alguns anos meu trabalho me levou a estar junto de pessoas que perderam seus entes queridos por morte, escutei suas histórias...

3 passos para se manter mais focado

Nosso estado natural de fácil distração é um prato cheio para iniciarmos uma atividade e, no meio do caminho, nos deixarmos ser desviados por algum barulho inesperado, por uma lembrança de outra coisa a ser feita ou atraídos pela geladeira. Se estivermos em estado ansioso ou de estresse então a geladeira torna-se bastante procurada especialmente quando se está em casa de quarentena. Há momentos nos quais a distração ocorre simplesmente por não termos clareza do que estamos buscando, em outros...

Escolhas: para onde estou indo?

Fazer escolhas. Escolher. Desde pequenos escutamos que “a vida é feita de escolhas”. É fácil? Para mim às vezes não é, muitas vezes não foi. Quando escolhemos um caminho, precisamos abdicar de coisas que encontraríamos no outro caminho. Abdicar se torna um desafio ainda maior quando não temos clareza do que é importante para nós, quando ficamos presos nas expectativas que achamos que as pessoa têm sobre nós, quando queremos atender às regras internas que nos impomos…são infinitas as armadilhas...

Prioridades… por onde começar?

Quando eu estava pensando sobre o que eu gostaria de falar essa semana, me veio à cabeça um dilema que eu tenho enfrentado mais atualmente: como dar conta de várias atividades ao mesmo tempo? A escrita desse texto foi uma dessas atividades, era uma tarefa que eu precisava fazer, ao mesmo tempo também tinha que terminar de preparar uma apresentação para hoje, terminar outros documentos que estamos preparando em equipe, atender e ahhhhhhh… Como lidar com isso? Umas das coisas...

Processo de luto durante o CoVID-19… O que fazer?

O mundo continua combatendo a Pandemia do Coronavírus (COVID-19) com todos tentando, a partir de suas possibilidades, lidar com as consequências e buscar sobreviver aos efeitos de saúde, políticos, econômicos, sociais e de trabalho neste momento tão difícil para todos nós.  No momento que eu estou publicando este post, as mortes por COVID-19 são mais que 430.000 pessoas em todo o mundo, deixando cada uma um impacto e um vazio enorme na vida de seus entes queridos e na comunidade....

O que fazer com o medo?

“E agora? O que vai acontecer?” Isso tem se passado na sua cabeça? Nos últimos três meses, inúmeras vezes me perguntei sobre o que será do futuro. Imagino que este é um questionamento inevitável, que ronda os pensamentos de muitos de nós. E este futuro tão incerto pode vir carregado de muito medo, afinal, os números e os fatos são realmente alarmantes e tristes. E não basta a realidade ser dura, a criatividade da mente humana é larga, temos uma...

Acessando a vulnerabilidade para a mudança

Tenho estudado com um grupo de amigos sobre o livro “Imunidade à Mudança” (Kegan & Lahey,2017) e em todos os nossos encontros fico buscando conexões com as Terapias Comportamentais Contextuais, meu foco de trabalho e estudo hoje. Me sinto instigada e adoro fazer isso, conectar minha experiência anterior em organizações com meu mundo atual na Psicologia Clínica. Além disso, também me sinto convidada a pensar em nosso momento e nas mudanças que estamos tendo que enfrentar. Criamos uma metáfora para...