“A parte que falta em mim”

Recentemente a blogueira Jout Jout fez um vídeo sobre o livro “A parte que falta” de Shel Silversten. Este vídeo viralizou na internet com mais de 4 milhões de visualizações (até a data de hoje).Eu mesma vi este vídeo mais de uma vez, publiquei e encaminhei para amigos olharem.


E frente a esse fenômeno das redes sociais, me pergunto: porque este vídeo teve tanto alcance? Por que viralizou?


Algumas respostas vem na minha mente: “porque a Jout Jout é uma blogueira famosa”; “porque ela faz a leitura do livro com entonação de voz e empolgação”; “porque o livro realmente é bom”; “porque é uma leitura fácil, simples e bem ilustrada”; “porque tem um bom trabalho de edição no vídeo”; etc. Classifico elas como respostas de mente racional, pelo que me parece…


Dentre todas essas respostas e ainda outras possibilidades de justificativa, creio que o fato das pessoas se identificarem com o conteúdo da mensagem é o que fez com que o vídeo – “boom!”  – explodisse nas redes sociais . Trata-se de uma reflexão sobre um dos desejos da humanidade: queremos ser “preenchidos”, queremos que as coisas “se encaixem”. Porém, sempre tem algo que falta! Quando falamos dos desejos, estamos falando sobre necessidades. Reconhecer as nossas necessidades e estar atento a elas, faz com que nos movimentemos em direção de satisfazer esta “falta”, ou ao menos de preencher esta falta. Acontece que,  logo que ela é preenchida, conseguimos notar outras coisas que também temos necessidade. E assim seguimos, notando a necessidade, notando que preenchemos, notando uma nova falta…

Acredito que este vídeo fez sucesso porque o ser humano vive eternamente este movimento. Então, por sua vez, produz reflexões a respeito de algo profundo, algo que todos nós passamos e sentimos, às vezes vivendo com mais leveza e às vezes com mais sofrimento.


Como todo o exposto, imagino que serenidade ao trilhar o caminho, nos traz a sabedoria de que iremos nos deparar com diferentes “faltas” na caminhada. Sendo assim, podemos seguir  dando mais atenção na busca do que nos falta ou colocando mais luz no que temos no momento.

Como acolhemos a parte que nos faz falta?


Segue link do vídeo aqui, vale a pena assistir!

Compartilhe

Sobre o Autor
Rafaela Teló Klaus
Rafaela Teló Klaus
CRP 07/13.491 Psicóloga pela PUC-RS. Mestranda em psicologia na UFCSPA. Especialização em Terapias Comportamentais Contextuais CEFI/CIPCO. Formação em Terapia Comportamental Dialética (DBT). Treinamento em Terapia Comportamental Integrativa de Casal (IBCT). Especialista em Terapia de Casal e Família pelo CEFI. MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Psicoterapeuta individual, casal e família. Co... ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *